Você já ouviu falar em problema bom? Pois é, a maioria dos investidores que tem dinheiro demais tem esse problema. Investidores realmente ricos têm muito dinheiro sobrando.

Este é um fenômeno que David Bailin, do Citi Private Bank, observou se os mercados estão em alta, em dificuldades ou estagnados, não importa o cenário, quem tem muito sempre tem essa dificuldade.

De acordo com os números do Federal Reserve, os investidores de varejo tinham cerca de 18% de seus ativos em fundos do mercado monetário e em depósitos bancários dos EUA, considerados alternativas em dinheiro, no auge da crise financeira em 2009. Mas hoje eles ainda têm uma alta porcentagem em dinheiro. – por volta de 14%.

Os clientes do Citi Private Bank, que têm pelo menos US $ 25 milhões em riqueza para investimentos, tinham cerca de 25% de sua riqueza em dinheiro em 2009, mas ainda têm 22% em caixa hoje, diz Bailin, diretor global de investimentos do banco.

Para um cliente com US $ 100 milhões em riqueza para investimentos – e muitos clientes do Citi excedem esse nível -, são pelo menos US $ 22 milhões que não estão proporcionando um retorno muito acima de 1% a 2% ao ano.

Parece brincadeira, mas é verdade.

“Se um cliente tem US $ 100 milhões, por que eles precisariam de US $ 15 milhões ou US $ 20 milhões em dinheiro?”, Pergunta Bailin. “Eles deveriam ter investido totalmente – eles podem precisar somente de US $ 5 milhões em dinheiro”.

 

O que não está claro é por que os investidores detêm muito dinheiro. Dada a volatilidade do mercado desde o início do ano, o medo de investir no momento errado é uma provável explicação. Mas não é isso.

Quando perguntados, eles geralmente dizem que querem flexibilidade para investir quanto ao tempo e o preço estiverem corretos – no setor imobiliário, por exemplo, ou em ações. Ou, eles dizem que estão planejando comprar algo específico com seu dinheiro no futuro próximo – talvez uma segunda casa ou destino de viagem e estão “com medo” de colocá-lo no mercado.

No Wells Fargo Private Bank, onde o limite de ativos é de US $ 2,5 milhões, Adam Taback, vice-diretor de investimentos, concorda que os investidores têm muito dinheiro, mas Taback diz que os níveis de caixa que ele está vendo estão próximos de 5% do total de ativos.

Ainda assim, ele concorda que os investidores não devem ficar de fora.

“A razão pela qual você tem níveis excessivos de dinheiro é que você está esperando por um recuo (correção), que você quer ser capaz de capitalizar”, diz Taback. “Quando você está fazendo isso simplesmente para ter dinheiro, você está, por padrão, dando a si mesmo um retorno negativo.”

 

Onde colocar dinheiro definitivamente

Os investidores que querem evitar investir mais no mercado de ações podem considerar a segurança dos títulos do Tesouro dos EUA. Mas os títulos podem perder valor se as taxas de juros aumentarem. O Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) elevou as taxas de juros duas vezes até agora, em março e junho, e a expectativa é de que as taxas subam mais duas vezes antes do final do ano.

O Citi está recomendando que os clientes de renda-fixa com contas gerenciadas, podem incluir uma gama de opções, desde uma nota de demanda de taxa variável – que é um título municipal com um vencimento semanal, ou seja, é reajustada a cada semana – para um fundo bancário de taxa variável, a melhor opção seria empréstimos bancários com taxa flutuante (pós-fixados) que são redefinidos quando as taxas de juros sobem ou descem.

“Queremos coisas que não vão perder valor em um mercado de taxa crescente”, diz Bailin.

Para os clientes do Citi com grandes posições de caixa, o custo de montar uma conta gerenciada de renda fixa com vencimentos variados seria de 0,20%.

“Estamos oferecendo isso como um serviço de baixo custo – você não pode cobrar muito para administrar dinheiro em renda fixa”, diz Bailin. “Mas se os clientes conseguirem mais de 2%, o que podem, isso é algo significativo que podemos fazer.”

Comparada a renda fixa de países emergentes, é totalmente fora da realidade do brasileiro, a renda fixa no tesouro americano.

Uma das estratégias do Wells Fargo para os clientes que querem ficar longe do mercado de títulos é o empréstimo direto a uma empresa privada (Bonds). Com um empréstimo direto, os investidores podem obter retornos “altos de um dígito a dois dígitos”, dependendo do prazo do empréstimo. Em vez do risco da taxa de juros, eles assumem o risco de crédito da empresa que recebe o empréstimo.

Taback diz que muitos clientes da Wells Fargo são receptivos à estratégia, principalmente porque as taxas de juros provavelmente subirão.

“Muito da nossa orientação é para isso agora: obter lucro, aumentar sua carteira de títulos com risco de crédito em vez de risco de taxa de juros e gerar renda através de fontes não tradicionais”, diz Taback.

A renda fixa fica cada vez mais difícil alocação neste momento, pois todos os produtos de renda fixa subirão com as altas das taxas de juros que virá, logo não faz sentido alocar capital num produto que hoje vale 1, porque daqui a alguns meses valerão 3, e o pior de tudo é que estes produtos na sua grande maioria são de longo prazo, ou seja um verdadeiro mico.

Então o que seria melhor nestes casos?

Ou aguardar a valorização dos produtos de renda fixa, pré-fixados de longo termo, ou alocação de risco moderado com liquidez diária, por isso o apetite ao risco aumenta neste cenário.

Produtos de depósitos bancários com alta liquidez e carência reduzida também seria indicada até a melhora do cenário, pois melhor estar alocado em algum rendimento mesmo que sendo baixo do que o seu dinheiro estar de férias e você trabalhando.

Os produtos de renda fixa pós-fixados, que poderiam ser uma excelente opção, mas já estão precificados nos valores mais altos, pois você e metade do planeta querem isso.

 

Ps.: Texto extraído, adaptado e traduzido de um artigo da BARRONS-PENTA (Family Wealth Management)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *